top of page

Confiança da indústria gaúcha segue em nível baixo

O Índice de Confiança do Empresário Industrial gaúcho (ICEI-RS), divulgado na quinta-feira (21) pela FIERGS, cresceu 1,1 ponto em março, para 51,6, superando a faixa dos 50 que separa a presença da falta de confiança. Nos primeiros três meses de 2024, o índice oscila pouco acima da linha divisória, revelando otimismo, mas em um nível muito baixo. “Os resultados não mostram grandes mudanças na percepção da indústria gaúcha, que continua pouco confiante no cenário econômico doméstico, ainda carregado de incerteza por conta da política fiscal, da preocupação com o cumprimento das metas do novo Arcabouço Fiscal e da Reforma Tributária, juntamente com a retirada de incentivos fiscais de ICMS no Rio Grande do Sul “, afirma o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry.


Formado pelas avaliações dos empresários gaúchos com relação às condições atuais e às expectativas da economia brasileira e da sua empresa, o ICEI-RS mostra que no terceiro mês de 2024, todos os componentes cresceram em relação a fevereiro. Mas a presença de confiança está exclusivamente nas expectativas sobre as próprias empresas, pois em relação à economia brasileira, o sentimento é de pessimismo. O Índice de Condições Atuais cresceu 0,7 ponto em março ante fevereiro, para 45,7 pontos. Apesar da alta, o valor continuou abaixo dos 50. Isso mostra que os empresários gaúchos ainda percebem deterioração nas condições atuais dos negócios. A avaliação negativa é particularmente intensa sobre a economia brasileira, cujo índice de condições aumentou de 40, em fevereiro, para 41,2 pontos, em março. A proporção de empresários que percebem piora da economia brasileira (39,5%) neste mês supera em mais de quatro vezes a dos que identificam melhora (9,3%). O restante, 51,2%, não viu mudança no cenário econômico doméstico nos últimos seis meses.


Comunicação da FIERGS



Comments


bottom of page