top of page

Demanda fraca diminui otimismo da indústria gaúcha

A fraca demanda interna foi avaliada pelos empresários como o principal entrave que manteve a produção industrial gaúcha praticamente estável em março e no primeiro trimestre de 2024. O índice de produção registrou 50,3 pontos. O resultado está na pesquisa Sondagem Industrial do RS, divulgada pela FIERGS, que apontou ainda Utilização da Capacidade Instalada (UCI) abaixo do usual e estoques em níveis excessivos. “Além da demanda, a elevada carga tributária, a falta ou o alto custo da mão de obra qualificada, os juros elevados e a insegurança jurídica também são apontados como dificuldades que fazem o empresário manter cautela e segurar investimentos”, diz o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry.


Com tal cenário, as condições financeiras das empresas se deterioraram e as expectativas dos empresários ficaram menos otimistas em março. Mesmo que a produção industrial gaúcha tenha registrado pequena alta, é quase uma estabilidade relativamente a fevereiro, pois está muito próxima de 50 pontos, marca que separa crescimento de queda. O desempenho da produção ficou abaixo do esperado para o mês, que tem como média histórica 52,8 pontos.


A única notícia positiva do mês foi o emprego, que em março registrou a segunda alta consecutiva, após cair ininterruptamente entre outubro de 2022 e janeiro de 2024. O índice do mês foi de 51,4 pontos, valor acima da sua média histórica (50,1) para o mês, mostrando ser a estabilidade o comportamento esperado entre os meses de fevereiro e março.


Comunicação da FIERGS




Comments


bottom of page